Vamos Brincar?

Numa altura em que é dado cada vez menos tempo à brincadeira, substituindo-a por tarefas escolares e atividades extracurriculares, é importante salientar a necessidade de todas as crianças terem um “horário de brincadeira” onde se possam desenvolver a nível físico, sensorial, emocional, cognitivo e social.

O brincar assume um papel de extrema importância no desenvolvimento pois, é através dele que criança aprende sobre si mesma, desenvolvendo a sua própria identidade, e sobre o ambiente à sua volta. Assim, começa a construir o seu mundo e a projetar-se no mundo real.

Para além disso, o brincar promove a autonomia, a socialização, a autoestima, cria oportunidades de autoexpressão e desenvolvimento da criatividade. .

Qual o papel da Terapia Ocupacional no brincar?

O brincar é a principal área de desempenho da criança, sendo também o seu principal papel ocupacional. Deste modo, o Terapeuta Ocupacional intervém através da brincadeira, de forma a estimular as habilidades da criança e desenvolver as diferentes áreas de desempenho: atividades de vida diária (AVD’s), educação, participação social e o próprio brincar.

Para além disso, e caso seja necessário, o Terapeuta Ocupacional pode também ensinar os cuidadores e educadores a adaptar brinquedos e/ou brincadeiras de modo a serem realizadas em casa e/ou na escola para ir ao encontro das necessidades especiais de cada criança.


Exemplos de brincadeiras de acordo com a faixa etária

Voltando a referir a importância que o brincar tem no desenvolvimento infantil, a informação abaixo mostra o género de brincadeiras, tendo em conta a idade da criança, e também exemplos de brincadeiras que pode fazer em conjunto com o seu filho:


0 – 2 anos: As primeiras brincadeiras da criança envolvem estimulação dos sentidos: começam por observar e depois, manipular objetos (brinquedos de encaixar/montar com peças grandes e de puxar/empurrar);

3 – 4 anos: Iniciam as brincadeiras de faz-de-conta: representação de papéis/rotinas presentes no dia-a-dia da criança (mães e aos pais; ir às compras; escola…);

5 – 6 anos: Há uma continuidade das brincadeiras anteriores e acrescentam-se os jogos de equipa e regras (jogos de tabuleiro, futebol…).


Exemplos de brincadeiras para fazer com o seu filho

  • Dançar, correr, saltar à corda, brincar de carrinho de mão, jogar à bola (…)

  • Blocos de construção, puzzles (…)

  • Pintar, desenhar, recortar, brincar com plasticina (…)

  • Cantar músicas, ler histórias (…)




Vamos brincar?

0 visualização