Teleterapia- Uma nova realidade também para o Terapeuta da Fala

Devido à situação mundial atual em que vivemos, todos os portugueses tiveram a necessidade de se reajustar a esta nova realidade. Houve pessoas que deixaram de trabalhar para cuidar dos filhos, outras que reduziram visivelmente o seu trabalho e ainda outras que o continuaram de forma total ou parcial recorrendo à alta tecnologia.

Esta mudança vivida pela sociedade portuguesa é definida como real e tem impacto a todos os níveis, económico, financeiro, emocional e social.

O terapeuta da fala é o profissional que investiga, previne, avalia e trata perturbações da comunicação.

De que forma é que esta realidade alterará a nossa forma de comunicar?

A comunicação desenvolve-se de forma natural no ser humano e é considerada a base para desenvolvimento e envolvimento de relações interpessoais. A comunicação é um processo que se desenvolve desde muito cedo e consiste na presença de um emissor e de um ou mais recetores que partilham uma mensagem linguística que pode ser transmitida por via oral, através na nossa linguagem corporal (expressões faciais, movimentos de todo o corpo, silêncio…).

Esta pandemia mundial obrigou o ser humano a utilizar a tecnologia como meio para comunicar com os familiares e amigos e até para trabalhar. O ser humano necessita de comunicar e de desenvolver relações interpessoais para se manter saudável a nível emocional, e consequentemente, físicos.

Nesse sentido, a telemedicina surge como resposta face às necessidades comunicativas, relacionais, à partilha de informações e mais diretamente, ao acompanhamento à distância por videoconferência de pacientes, envolvendo a sua família no processo terapêutico. Salienta-se que esta prática é defendida pela ASHA - American Speech-Language-Hearing Association que salienta a adoção de normas específicas, como especificamente pela entidade reguladora da saúde.



Esta modalidade já existia dentro da terapia da fala, salientando-se a presença de evidência científica relacionada com a intervenção terapêutica e seus resultados. Contudo, a grande maioria dos terapeutas da fala não recorriam a esta modalidade, pelo reduzido conhecimento dos benefícios ou pela escolha da prática presencial, que se revela mais natural e onde desenvolvemos a comunicação como um todo e tendo por base os diferentes contextos da pessoa, sendo definidos como naturais.

O acompanhamento realizado pelo Terapeuta da fala pode ocorrer de forma direta ou indireta com o paciente, envolvendo a sua família e permite ao profissional, continuar com o acompanhamento, de forma a minimizar /colmatar as dificuldades do paciente, com impato nas atividades diárias do mesmo.

Apesar desta situação originar dificuldades na prestação presencial dos cuidados terapêuticos e de saúde ao


s pacientes que necessitam, a intervenção do terapeuta deverá ser contínua, de forma a melhorar as competências comunicativas, linguísticas, articulatórias…promovendo melhor eficácia comunicativa e funcional nas diversas situações e contextos diários

De acordo com a minha experiência, a teleterapia tem sido uma mais valia, pois permite-me poder continuar a acompanhar os meus pacientes, crianças e adultos, intervindo diretamente nas dificuldades reais de comunicação e podendo ainda, envolver toda a família, pois o trabalho do terapeuta incide cada vez mais na família, visando a criação de funcionalidade que resulta da adopção das estratégias e orientações terapêuticas.

Dessa forma, esta reflexão permitiu-me concluir que embora a comunicação não ocorra no contexto natural, é possível que esta seja funcional mesmo através desta nova modalidade, sendo que o ser humano necessita dela para se manter saudável a nível mental e físico. Saliento, ainda, a importância da atuação do terapeuta da fala nesta altura menos positiva, mas fulcral para a manutenção dos resultados clínicos. A terapia requer continuidade e essa continuidade, permite obter a eficácia dos resultados terapêutica e generalização dos mesmos para as rotinas diária dos indivíduos.

Aconselho ainda a implementação de algumas orientações, que estão diretamente relacionadas com as competências comunicativas e linguísticas, nomeadamente:

· Comunique diariamente com os seus familiares, amigos, de forma a minimizar o seu impacto a nível emocional e mantendo as relações sociais;

· Mantenha as rotinas diárias aproximadas às existentes antes da pandemia;

· Realize exercício mental e físico, de forma a manter-se ativo

· Realize atividades de literacia e atividades/ jogos que estimulem a cognição, a linguagem, o raciocínio e as funções executivas (organização, planeamento, memória). Poderá realizá-las com mais pessoas mediante as inúmeras ferramentas e softwares que existem online.

26 visualizações