Refém do overthinking...

Por vezes, somos assombrados por pensamentos automáticos, que acabam por se tornar intrusivos e por nos trazer sofrimento.

Muitas pessoas acabam por ficar reféns deste mecanismo, revelando dificuldade em se distanciarem do que pensam. Estes pensamentos ruminativos ativam afeto negativo e constituem um fenómeno que chamamos de overthinking.



Como podemos lidar com o overthinking?



1. Aceitação

Lembre-se que, a maior parte das coisas que pensamos de modo automático fazem parte de temas que, de algum modo, são valorizados por nós. Por isso, se existe alguma preocupação específica na qual não consegue parar de pensar, provavelmente ela é importante para si.

Se muitos dos nossos pensamentos são automáticos, então parece um contrasenso tentar controlá-los. Ao invés disso, experimente aceitar que eles surgem e dar-lhes a possibilidade de existirem sem que isso constitua um problema.


2. Pensar não tem que corresponder à verdade

Ainda que no meio deste loop cognitivo muitas coisas nos pareçam verdade, assumir que temos uma bola de cristal que antecipa e prevê as coisas é demasiado ambicioso.

Tente não fusionar o conteúdo dos pensamentos com a realidade e lembre-se que eles são apenas isso mesmo: pensamentos.


3. Crie leituras alternativas

No seguimento do ponto anterior, é relevante procurar outras perspetivas e modos de interpretação alternativos. A nossa mente irá sempre ler a realidade de acordo com as nossas crenças e regras. Por isso, não se esqueça de que há, provavelmente, outras lentes com as quais pode olhar e pensar sobre aquilo que o preocupa.


4. Defina planos e dedique-se a atividades gratificantes

O objetivo de termos um conjunto de coisas que gostamos de fazer não é apenas e só distrairmo-nos dos nossos pensamentos. Pelo contrário, devemos procurar mudar o foco da atenção, contudo devemos dar-nos conta sempre que este volte ao pensamento e meter em prática o ponto 1. Aceitar.

No entanto, fazer atividades gratificantes e estar com as pessoas que amamos dar-nos-á um sentimento de autoeficácia maior e contribuirá para o nosso bem-estar.


5. Deixe acontecer o presente e espere, pacientemente, pelo futuro

Não adianta procurar antecipar o futuro nem, tão pouco, acreditar que o conseguimos fazer.

Provavelmente, vivendo o presente de maneira focada aumentamos a probabilidade de obter o que ambicionamos e valorizamos. Por outro lado, se tivermos atenção ao aqui e agora conseguimos retirar prazer do que fazemos e experimentar o que todos nós procuramos: a felicidade.


105 visualizações