top of page

Prematuridade: expetativas e desafios

A prematuridade diz respeito à Idade Gestacional inferior a 37 semanas, após o primeiro dia da última menstruação da mulher. O número de partos prematuros tem vindo a aumentar ao longo das últimas décadas. Este aumento conduziu a um interesse crescente pela compreensão do modo como os pais lidam com a situação de prematuridade, a curto e a longo prazo, uma vez que a maior parte dos pais experienciam situações complexas no contexto hospitalar, potenciadoras de níveis de stress mais elevados. Além disso, existem evidências de que as crianças prematuras constituem um grupo de risco acrescido para o desenvolvimento de problemas comportamentais, emocionais e psicológicos.


O nascimento de uma criança prematura é um acontecimento inesperado e que contraria as expetativas dos pais, uma vez que esperavam um bebé saudável e uma gravidez de termo. O prematuro é um bebé biologicamente mais vulnerável, devido à sua imaturidade orgânica e necessita, muitas vezes, de cuidados especiais. Nos casos em que é necessária, a hospitalização do prematuro é considerada uma “crise psicológica” para a família, que causa sentimentos de impotência e stress. Esta requer a mudança e redefinição de expetativas dos pais, que desafia o seu equilíbrio emocional e pode colocar obstáculos ao estabelecimento da relação pais-bebé.


Uma vez que muitos dos bebés prematuros necessitam de cuidados especializados, os pais podem ter dificuldade em iniciar uma aproximação com o filho prematuro. Nessas situações, os profissionais de saúde têm papel fundamental no sentido de favorecer o processo de vinculação entre os pais e o bebé. Algumas dúvidas podem surgir como “Será que sou capaz de cuidar do meu bebé?”, “Como vou perceber aquilo que o meu bebé precisa?”. Em conjunto com os profissionais de saúde e as suas orientações, os pais podem participar na rotina diária do bebé, contribuindo para o estabelecimento de uma relação mais afetiva, reduzindo a sua ansiedade e aumentando a sua confiança.


A parentalidade positiva é um fator determinante do desenvolvimento da criança nascida prematura. Neste contexto, a participação e permanência dos pais no hospital é extremamente benéfica quer para a criança, quer para a integridade da família. Adicionalmente, ao longo do desenvolvimento da criança, os comportamentos parentais como, por exemplo, as suas práticas educativas, desempenham um papel crucial no desenvolvimento e no bem-estar das crianças.


De um modo geral, a parentalidade é um grande desafio para os pais. No contexto específico da prematuridade, este é um desafio acrescido, uma vez que é um acontecimento muitas vezes inesperado e que exige uma adaptação familiar. No entanto, a presença dos pais é fundamental em todo o processo, pois contribui para resultados mais positivos e para o desenvolvimento e crescimento saudáveis da criança.


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page