Disfunções sexuais no homem. Quais as causas?

Atualizado: Jul 15

Os factores psicológicos têm sido das principais causas das disfunções sexuais masculinas...

Uma grande maioria dos homens tem medo de não satisfazer a parceira, associado a este medo está a perda da libido, a depressão, a ansiedade e o stress, assim como eventuais traumas de infância, da adolescência ou da idade adulta. A causa pode também ter origem no desinteresse pela parceira causado por vários factores que podem ser físicos, por haver desinvestimento na relação de ambas as partes ou de um dos elementos do casal, por motivos extra relação como a falta de identificação com o par, por motivos de origem social ou laboral, entre outros. São muitos os casais que não se conhecem o suficiente, não dialogam sobre os seus medos, sobre eventuais experiências falhadas no passado ou presente, sobre as suas fragilidades, não se expõem para não aceder a eventos que lhes desperte sentimentos de culpa ou pelo medo de se reverem numa outra situação de falhanço, alimentando assim sentimentos de inferioridade ou incapacidade. Este tipo de comportamentos acaba por desenvolver sentimentos de desvalorização, diminui a auto-estima e a aumenta a frustração nos momentos que antecedem e após o acto sexual. Na maioria dos casos os homens afectados por episódios de impotência sexual, falta de rendimento durante o acto sexual e ejaculação precoce tendem a ter relações intimas pouco duradouras, afectivamente evitam envolver-se demasiado tempo com a mesma parceira pelo medo de falhar nos momentos de maior intimidade, e quando este factor acontece, afastam-se muitas vezes sem explicação. Quando terminam uma relação, tendem a envolver-se pouco tempo depois com outra parceira sexual, ou com várias parceiras afim de atestar o seu desempenho sexual, sendo este um acto auto confirmatório que acaba por causar graves desequilíbrios emocionais. Neste tipo de acto auto confirmatório o foco deixa de ser a parceira e passa a ser apenas o acto físico com reduzido envolvimento emocional, de forma a provar a si próprio se vai conseguir ou não manter uma erecção satisfatória, preocupando-se apenas consigo e não com o que a parceira possa sentir durante o acto, deixando de parte os sentimentos e valores, desconectando-se do momento, trazendo assim para a relação e para a parceira um elevado desconforto, sendo que na maioria dos casos, o envolvimento acaba por ser um fracasso, exacerbando ainda mais a frustração do homem e do casal, podendo a relação passar a ser conflituosa. Um elevado número de casos deve-se à incapacidade do individuo lidar com as próprias emoções e as da parceira, o homem sente-se perdido, procurando a sua identidade, que tenta amar e ser amado, querendo receber e dar prazer e satisfazer o outro não só sexualmente mas intelectualmente, afectivamente e psicologicamente.

A grande questão é que o prazer é manipulado pelas emoções, e não sendo o problema de origem física ou orgânica, essas emoções escondidas por outros problemas devem ser resolvidas. Recomenda-se que para quem sofre deste tipo de patologia faça um despiste físico geral e se o problema se mantiver, procure por ajuda de acompanhamento psicológico.

0 visualização