O meu filho é tímido ou sofre de ansiedade social?

Sabemos que há crianças que são mais tímidas que outras. A timidez é uma característica de temperamento como qualquer outra. Por vezes são mais observadoras e menos expansivas e não costumam ser as primeiras a tomar iniciativa na interação com os pares. As crianças e adolescentes tímidos podem mostrar relutância em participar em determinadas situações sociais e quando têm de sair da zona de conforto, mostram-se envergonhadas e com ligeiro desconforto.


E quando têm dificuldades em fazer amigos, evitam situações sociais, manifestam medo de ser gozados, ficam muito nervosos quando têm de participar na aula?


Para um pai ou professor poderá não ser fácil distinguir a timidez de uma perturbação de ansiedade social. Apesar de a timidez, ser muitas vezes, um percursor da ansiedade social, há diferenças entre si.


As crianças e adolescentes tímidos não são os mais populares, mas desenvolvem e mantêm amizades saudáveis desde o pré-escolar. Quando vivenciam mudanças na sua vida, desde uma mudança de casa, ou mudança de escola que implique afastar-se do seu ciclo de amigos, manifestam uma preocupação inicial, mas após uma fase de adaptação conseguem fazer novas amizades e sentir-se integradas.


Quando a ansiedade social está presente, a criança e adolescente evita frequentemente participar em situações sociais, e quando participam sentem intenso mal estar físico (boca seca, coração acelerado, rubor facial, tremores, tensão muscular, dor de barriga ou dor de cabeça) e psicológico (pensamentos negativos: “Não vou dizer nada de jeito”, “Estou a fazer uma figura ridícula”, “Tenho de parecer interessante”) nas situações receadas (podem ser sociais ou apenas de desempenho). Não tem um número de amigos satisfatório e a sua rotina, atividades escolares e/ou relações sociais são afetadas, ao contrário do que acontece com uma criança ou adolescente tímido.

Porém, a ansiedade pode ser muito silenciosa, uma vez em que a criança ou adolescente não se queixa nem pede ajuda. Não raras vezes, uma criança ou adolescente sofre de perturbação de ansiedade social, mas os sintomas são desvalorizados e encarados como fazendo parte de uma simples timidez e/ou que passarão com o tempo.


Se desconfia que o seu filho pode estar a sofrer em situações em que se sente exposto socialmente, atente os seguintes sinais de alerta:

· Dificuldades na adaptação a nova escola

· Dificuldades em conhecer pessoas novas e fazer amigos

· Passar intervalos sozinho, andar cabisbaixo e evitar contacto visual

· Preocupação excessiva em agradar

· Evitar sair da zona de conforto e experimentar uma atividade nova (AEC, campos de férias, desporto…)

· Evitar ser o centro das atenções

· Ter a sensação de estar constantemente a ser observado e avaliado

· Preocupar-se em demasia com o que os outros pensam de si

· Não participar nas aulas nem colocar dúvidas ao professor

· Apresentar trabalhos orais com ansiedade acentuada

· Recusar atuar em frente de outros (peça de teatro, música, competição desportiva...)

· Não tomar iniciativa para participar nos jogos com os colegas

· Dificuldade em manifestar as suas opiniões de forma assertiva (por exemplo, dizer não quando não quer fazer alguma coisa).

Se identificou alguns destes sinais, não hesite procurar ajuda de um psicólogo clínico.


Raquel Carvalho

Psicóloga Clínica

12 visualizações