E eu? É normal não me sentir tão afetado?

Atualizado: Abr 9

Todos nós somos especiais. E, por isso, temos as nossas características, as nossas experiências, o nosso dia-a-dia, o nosso contexto e a nossa perspetiva.

Viver os tempos de hoje parece não ser fácil para a maioria de nós. Mas, adaptarmo-nos às novas circunstâncias de vida é, para outros, uma tarefa relativamente simples.


Algumas pessoas têm-me questionado se "serei normal por não me sentir afetado com tudo isto", "por até gostar de estar em casa", "por lidar bem com a nossa nova realidade e com este confinamento".

A verdade é que não existe normalidade nem anormalidade. Não existe uma pauta, segundo a qual devemos sentir ou pensar. Para alguns, os tempos que vivemos podem ser tranquilizadores, principalmente para aqueles que conseguem manter o isolamento, sozinhos ou quem mais amam, balizando as tarefas dentro da auto-disciplina e do auto-cuidado, limitantoas saídas ao estritamente necessário.

Há quem facilmente se tenha adaptado ao teletrabalho e, por isso, aproveite esta altura para se dedicar mais a si, às suas rotinas e bem-estar.


Possivelmente, e face ao cenário, estas pessoas tenderão a sentir-se culpadas por não se sentirem afetadas com as novas rotinas. Mas esse sentimento de culpa perde o sentido se conseguirmos normalizar todo o tipo de respostas emocionais e psicológicas. Temos especificidades. E reagimos de maneira individual às circunstâncias do contexto.


Se consegue percepcionar segurança própria e dos que lhe são próximos, se consegue manter rotinas ajustadas, se se mantem ocupado/a e faz atividades gratificantes, se consegue ser produtivo/a no trabalho, então, certamente não sentirá tanto impacto. Mas, isto não significa que o panorama lhe seja totalmente indiferente. Aliás, dificilmente nos passa ao lado um cenário de catástrofe. Um cenário de doença, de perda e sofrimento.


Por isso, não se culpabilize. Cuide de si. Ao cuidar de si, cuida dos outros. E, se cuidarmos de todos nós, a luta conjunta será, certamente, menos dolorosa para todos nós.



61 visualizações