top of page

Como vive a pessoa com demência a sua sexualidade?

Atualizado: 21 de fev. de 2023

A sexualidade é uma necessidade básica, inerente a todos os seres humanos, mas no que diz respeito à pessoa com demência, o assunto rapidamente vira “tabu”.

A pessoa com demência mantém as suas necessidades afetivas, como receber amor, o toque e a manutenção de uma relação segura. No entanto, estas necessidades podem ser expressas de forma variável, tendo em conta a forma de expressão do afeto das pessoas envolvidas e o grau de severidade da demência neste aspeto.

A demência pode provocar alterações na expressão da sexualidade, como comportamentos inapropriados, bem como alterações no desejo sexual. É importante perceber-se que estes comportamentos fazem parte da doença e não são intencionais. Uma pessoa com demência pode já não saber o que fazer em relação ao seu desejo sexual ou onde e quando pode exercê-lo de forma apropriada. Ainda assim, é muito importante que se esteja desperto para a necessidade real que a pessoa com demência tenciona expressar, pois, muitas vezes um comportamento que aparenta ser de cariz sexual, pode revelar outra necessidade a ser suprimida (ex.: ir à casa de banho).

Manter a expressão sexual é um indicador importante de bem-estar nas pessoas idosas, de uma perspetiva física, emocional e cognitiva. Há benefícios na manutenção de uma vida sexual ativa nas pessoas com demência, como níveis mais baixos de stress, desenvolvimento de uma autoestima positiva e uma relação emocional mais positiva com o parceiro. Assim, é importante estarmos despertos para a compreensão das necessidades afetivas e sexuais da pessoa com demência, conferindo uma resposta adequada, compreendendo que esta resposta pode assumir diferentes formas.

Se é o parceiro de uma pessoa com demência saiba que o seu papel não pode ser esquecido. Muitas vezes, pode ver-se confrontado com desafios e novas formas de expressão da sexualidade do seu parceiro, podendo vivenciar sentimentos de culpa, rejeição e tristeza. Pode ser importante procurar acompanhamento psicológico para aprender a lidar com as mudanças no casal, em termos de gestão emocional e de aquisição de estratégias práticas para uma vivência positiva da sexualidade.




Constança Martins - Psicóloga Clínica

81 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page