Como vencer ataques de pânico? Testemunho na 1ª pessoa

Atualizado: 12 de Mar de 2018





"O meu nome é Hugo S. e até há 2 meses atrás sofria de ataques de pânico.

Tudo surgiu há cerca de pouco mais de um ano, subitamente todo o stress da vida, insatisfação com o trabalho, o cansaço de um filho pequeno, muito pouco descanso, tudo isso criou enormes conflitos no meu corpo e mente.

Até ao aparecimento do primeiro ataque de pânico, eu era uma pessoa extremamente ativa, fazia ginásio 3 a 4 vezes por semana, pratiquei diversos desportos, mas subitamente tudo mudou. Lembro-me perfeitamente do primeiro incidente, estava a meio de um treino quando de repente o meu corpo ficou estranho, um mau estar, tonturas, dormência no braço esquerdo e o meu coração disparou, procurei ajuda de um instrutor e disse-lhe que não me estava a sentir bem, ele sentou-me e mediu-me a tensão, estava claramente nervoso com a tensão elevada, mas após uns minutos sentado tudo voltou ao normal.

Durante uns dias não fui ao ginásio, pois tinha aquele acontecimento presente na minha memória e mesmo quando consegui regressar aos treinos, já nada voltou ao normal, o receio estava sempre presente, pelo que a minha cabeça ficou dominada com receios e dúvidas sobre se passaria ou se teria algum problema de saúde, mais especificamente de coração, isto tudo me consumia, mesmo tendo consciência de que sempre havia sido uma pessoa saudável, sem qualquer problema de saúde, mesmo que negasse os meus pensamentos, o sub-consciente era demasiado forte e gerava muita ansiedade, a ansiedade gerava sintomas / alertas, que geravam mais ansiedade e assim se iniciava o ciclo dos ataques de pânico.

Durante muito tempo isso não me saiu da cabeça, até que tive o meu primeiro grande ataque, onde fui mesmo levado para o hospital, foram-me feitos todos os exames de despiste e nada foi detectado, foi então que me diagnosticaram os ataques de pânico.

Desde então pesquisei sobre o assunto, testemunhos, técnicas para superar os ataques, tudo isso. Durante um tempo todas essas pesquisas aliviaram de certa forma, mas do nada as crises voltaram e ficaram ainda piores, cheguei mesmo ao ponto de não conseguir estar am casa sozinho com o meu filho pequeno, pois na minha cabeça algo poderia acontecer e eu não teria ninguém para me ajudar, na minha cabeça eu poderia morrer subitamente e teria apenas o meu filho ao pé de mim, por esses receios eu optava por ir para o trabalho da minha esposa, ou para casa dos meus pais, era a única forma de a minha cabeça acalmar, sabendo que tinha alguém ao meu lado.

Mesmo com o conhecimento dos sintomas, das técnicas que tinha para aplicar em ataques, nada disso me tranquilizava, o meu sub-consciente era muito mais forte, por muito que dissesse que tudo estava bem, na minha cabeça estava sempre presente o receio de algo acontecer, especialmente um ataque de coração, tornei-me hipervigilante, à mínima alteração no meu corpo, um simples alerta, fazia o meu coração disparar, o que causava ainda mais alertas, mais ansiedade e pronto já estava dentro do ciclo.

Fui então que percebi que não era só ansiedade a dominar-me, eu já não tinha controlo sobre a minha cabeça, cada dia que passava era uma luta exaustiva contra os sintomas, chegava ao fim do dia completamente de rastos, a única coisa que queria era deitar-me na cama e fechar os olhos. Foi então que decidi procurar ajuda de um psicólogo, antes de encontrar a Dra. Catarina Lucas tive ainda duas consultas com outro psicólogo, não encontrei as respostas que queria o que me levou a pensar que este caminho seria demasiado longo e doloroso, após duas consultas com esse psicólogo decidi procurar uma nova análise ao meu problema.

Encontrei a Dra. Catarina Lucas numa pesquisa na Internet, marquei a primeira consulta e lembro-me perfeitamente da entrar na sala com a Dra. explicar o meu problema e a primeira coisa que a Dra. disse foi, "vamos então resolver isto", aquela frase era tudo o que procurava, acreditar que o meu problema tinha solução, que era possível resolver, falamos um pouco sobre o meu estado, a Dra. deu-me exemplos de alguns casos de sucesso e tudo isso imediatamente aliviou a minha mente, finalmente, após 1 ano de luta constante contra a minha cabeça, estava a ver luz ao fundo do túnel.

Posso dizer que na 2ª consulta tudo mudou para mim, tudo aquilo ficou claro e a minha cabeça começo a compreender o que deveria fazer, desde então tudo foi melhorando, aos poucos fui entendendo o problema que tinha e tomando controlo da minha mente.

Apesar de das melhoras visíveis em mim, havia sempre a dúvida se aquilo seria uma completa resolução do problema ou se seria apenas um aliviar de tudo aquilo, ainda assim havia a dúvida se num futuro próximo tudo aquilo poderia regressar e a resposta e essa questão é que sim é possível apagar completamente todo esse sofrimento, essa fase extremamente dolorosa da minha vida, desde então que retomei controlo total da minha vida, finalmente a minha mente consegue estar serena e sobe controlo.

Tenho mesmo muito a agradecer à Dra. Catarina por toda a ajuda, pela excelente profissional que é e também por toda a sua simpatia, pois na minha opinião aquilo que me fez seguir este caminho de recuperação com a Dra. Catarina, foi muito pela empatia que de imediato se criou.

Mais uma vez um muito obrigado à Dra. Catarina por me ter trazido a minha vida de volta."


#ansiedade

#ataquesdepânico

173 visualizações