top of page

Beijar mais. Beijar melhor

O beijo - do latim basium - é definido como uma pressão ligeira dos lábios, acompanhada de leve sucção, feita sobre uma parte do corpo de outra pessoa, como cumprimento ou como sinal de afeto, amizade, amor e/ou desejo.


Vários estudos têm demonstrado que o beijo desempenha três grandes funções nas relações amorosas: fornece-nos um indicador sólido da qualidade da relação, preserva a noção de intimidade e proximidade com o outro e pode mostrar a nossa disponibilidade para iniciar atividade sexual. Nesta perspetiva, tanto os homens como as mulheres classificam o beijo na boca como o tipo de afeto físico que é “mais íntimo” e que é mais “expressivo de amor”. No entanto, com todas as exigências da vida apressada que levamos, muitas vezes optamos por dar beijos rápidos e sem grande intenção, pelo que dificilmente nos lembramos do quão prazeroso pode ser beijar com tempo e sem pressa. Então… Porque não beijar mais? Porque não beijar melhor?


Quando falamos do beijo, particularmente o mútuo e prolongado, falamos de uma forte estimulação das sensações táteis. Deste modo, quando beijamos outra pessoa nos seus lábios podemos sentir o corpo a reagir automaticamente: o coração a acelerar, o rubor na pele e o aumento da temperatura corporal. E, de forma natural, podemos ter vontade de abraçar, segurar as mãos, tocar no rosto, passar as mãos pela pele do outro… o que promove ainda mais esta componente sensorial.

Um beijo intenso e sem inibição faz com que os nossos sentidos se despertem e, desta forma, estejamos presentes apenas naquele momento. Então, tirem um tempo para se beijarem, apenas com a intenção de se beijarem. Permitam desfrutar o prazer que esse momento vos poderá dar. Abaixo descrevo um exercício de atenção plena no ato de beijar que pode ser utilizado no dia-a-dia, com o objetivo de parar, reconhecer sensações corporais e, eventualmente, estimular a excitação sexual. Antes de começar, fechem os olhos. Tragam a atenção para a vossa respiração e respirem fundo duas ou três vezes. Tirem um tempo para notar a vossa face… Sentir a testa... Os olhos... O nariz. Sentir o ar passando pelas narinas… Sentir as bochechas… O maxilar... Os lábios… A língua... Toda a face. Quando se sentirem confortáveis abram os olhos. Aproveitem este momento para se olharem nos olhos e respirar fundo. Quando se sentirem confortáveis e perto um do outro dêem início ao beijo.


Deixem que os vossos lábios se suavizem e muito lentamente encontrem os lábios do outro. Desfrutem de um beijo que dure entre 5 a 10 segundos.


Beijem-se novamente algumas vezes e tentem prolongar o tempo do beijo. Lembrem-se de estar conectados às sensações corporais que o beijo despertará. O toque dos lábios e da língua é leve e suave, mas intenso.


Evitem falar durante a prática, pois tal poderá distrair a atenção. Se sentirem vontade de rir, é natural. Caso isso aconteça, voltem a atenção para a respiração e beijem-se novamente.


Ainda que esta prática possa trazer alguma excitação, esta não pressupõe como resultado o envolvimento em atividade sexual. Se ambos desejarem fazê-lo avancem! No entanto, reconheçam que este exercício é focado apenas no beijo e como ele pode trazer uma maior consciência para o momento presente e criar uma experiência de intimidade e conexão.


No final, tirem um tempo para partilhar a experiência… Como foi para cada um de vocês? Como o vosso corpo reagiu ao beijo? Como se alterou a vossa respiração ao longo do beijo? Os meus pensamentos divagaram ou ficaram no momento presente? O que foi mais prazeroso?


369 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários

Avaliado com 0 de 5 estrelas.
Ainda sem avaliações

Adicione uma avaliação
bottom of page