top of page

Aceitação e Transformação


Trago-vos hoje a letra de uma música, de Luísa Vidal, que me tem acompanhado nestes últimos tempos. Chama-se “Borboleta”:


Somos de aparências;

 e ensinados a ser alegres todo o tempo;

e tristeza ninguém quer.

Não sabemos lidar com a fragilidade;

Escolhemos pensos rápidos, a encarar a verdade.

Compramos felicidade, não refletimos na dor;

Mas a nota amarrotada tem o mesmo valor. 

Não temos de estar sempre bem; e está errado quem

Pensa que a larva vira borboleta num bater de asas.

Há processo a respeitar; não o ousemos nós romper;

No casulo a transformar o outro que se há-de erguer.

Quanto maior a queda; maior é o triunfo;

Dar a volta à tristeza, transformá-la num trunfo.

 

Sinto que esta música oferece uma poderosa reflexão sobre a natureza da experiência humana e a jornada de transformação emocional de cada um. A letra destaca uma pressão social para mantermos uma fachada de felicidade constante, enquanto ignoramos ou evitamos lidar com a nossa própria tristeza e fragilidade. Todos nós, em algum momento, passamos por momentos difíceis e enfrentamos desafios emocionais, mas muitas vezes optamos por esconder essas experiências por trás de uma máscara de felicidade. Porque o fazemos?


Talvez porque sentimos que as nossas quedas, as tristezas, as dores, fazem de nós menos inteiros, menos perfeitos, ou menos valiosos aos olhos dos outros? A música chama-nos a atenção para isso: “A nota amarrotada tem o mesmo valor”. Consigo reconhecer esse valor em mim? Consigo ver para além das minhas marcas, das minhas rugas, das minhas dores?


Finalmente temos a imagem da Borboleta. A Borboleta que, para se desenvolver, tem de passar por larva, ficar no casulo, maturar, e só depois chega ao seu esplendor de borboleta. A transformação pessoal e emocional requer tempo, paciência e respeito pelo processo. E eu, respeito o meu processo? O meu tempo?


Deixo o desafio de se questionarem sobre estas questões.

Como se encontram neste momento?

80 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários

Avaliado com 0 de 5 estrelas.
Ainda sem avaliações

Adicione uma avaliação
bottom of page