A atuação do Terapeuta da Fala nas dificuldades alimentares de base sensorial




O Terapeuta da Fala é o profissional de saúde que intervém nas diferentes áreas de intervenção, nomeadamente comunicação, linguagem, articulação, voz, fluência e motricidade orofacial. Atualmente diversos profissionais de áreas complementares tem conhecimento da diversidade de atuação deste profissional.

O Profissional intervém numa área denominada de motricidade orofacial que abrange o estudo, habilitação e reabilitação dos aspetos estruturais e funcionais das regiões orofaciais cervical com relação entre as condições anatómicas e funcionais de todo o sistema estomatognático.

Tal como nas outras áreas de atuação deste profissional, constata-se evidência e relação entre o crescimento e desenvolvimento da face e das estruturas que não dependem apenas de fatores genéticos, como também de outros estímulos, mais externos, relacionados com as funções como: sucção, mastigação, deglutição e articulação. Alterações nesta área poderão originar o desequilíbrio das estruturas e funções do sistema estomatognático com impacto na saúde global e oral do indivíduo.

Debruçando-me sobre as dificuldades alimentares de base sensorial na criança e relacionando a atuação específica na área acima mencionada, torna-se essencial definir e caraterizar que o desenvolvimento sensorial motor oral se inicia no período intra-uterino, sendo que o feto experiencia diferentes estímulos fundamental para a programação sensória-motora, envolvida nas funções orais como a sucção, deglutição e respiração do neonato com relação na mastigação e na fala.

O Desenvolvimento sensorial dependerá destas experiências e da sua maturação ao longo da vida, sendo os primeiros anos essenciais.

O papel do profissional é muito importante e especializado, tendo por objetivos:

· Minimizar a privação sensorial, estimulando a introdução e manutenção de alimentos com diferentes texturas, consistências, temperaturas;

· Contribuir para o adequado desenvolvimento do sistema sensorial–motor oral do bebé;

· Promover uma forma segura e eficaz de alimentação pela via oral para bebés prematuros e de risco, no sentido de beneficiarem de todas as vantagens do aleitamento materno;

· Promover o desenvolvimento adequado dos órgãos fonoarticulatórios em relação à força, tonicidade e mobilidade;

· Planear uma intervenção direcionada no desenvolvimento das funções orais do bebé.


O Terapeuta da Fala diagnostica, planeia e orienta famílias que lidam com dificuldades alimentares, atualmente abordada por diferentes profissionais de saúde que também apresentam um papel ativo. A intervenção específica nestas dificuldades poderá prevenir a manifestação de alterações nas funções orais desde muito cedo ou a longo prazo, como na mastigação e aceitação de diferentes alimentos re na articulação.


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo